quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Água das Pedras HOT


Depois da Pirelli e da Lavazza, também a Água das Pedras decidiu apostar em fotógrafos de renome para compor um calendário sensual. Para quem acompanha as últimas campanhas da marca, envolvendo animações com animais, é uma mudança significativa (é certo que a mais recente já fazia a transição). 

O calendário vai sendo apresentado no site ao do ano, cabendo a Kenton Thatcher assinar a fotografia de Janeiro - Fevereiro.

Interessante ver que esta campanha, à semelhança do que acontece com cada vez mais marcas, opta por uma forte activação Web 2.0. Ou seja, site personalizado, redes sociais, sites de partilha de vídeos e imagens, etc.. São as marcas a perceberem onde estão os consumidores para aí marcar a sua presença. 

Jornal de Letras x 1000


Nos dias que correm, um jornal celebrar 1000 edições, em 30 anos de existência, tem de ser notícia. O feito pertence ao Jornal de Letras

Parabéns!

Printed blog


Contrariando uma das tendências actuais dos media tradicionais - a aposta forte na Internet, eis que surge o primeiro blog em papel

Será um "jornal" com seis páginas a cores, impresso em gráficas próximas de cada um dos pontos de distribuição (estações de comboio). 

Os blogs e posts a publicar resultam de pesquisas no Facebook, Twitter e outras redes sociais, onde são identificados os autores. Por enquanto só vai estar disponível em Chicago e São Francisco, mas parece um conceito facilmente replicável.

Ler notícia aqui.

Guerra Imperial




Qualquer empresa se pode orgulhar de ser líder. Basta para isso perder algum tempo a perceber em que critério consegue superar a concorrência. Nem que seja a líder das mais pequenas, ou em critérios nos quais os outros nem concorrem, tudo é possível.
 
Neste momento, temos as duas principais marcas de cerveja nacionais a travar uma interessante batalha através da publicidade - algo a que já nos habituaram - onde agradecem aos consumidores o primeiro lugar conseguido. 

Ambas dizem que são número um. Ambas citam a Nielsen (aparentemente a verdadeira número um). Muda apenas o período em análise e o responsável por tamanho sucesso. A julgar pelos anúncios que passam na TV, o segredo da Sagres reside num homem, Alberto da Ponte, enquanto que a Super Bock atribuiu o seu sucesso a uma equipa. 

Quanto a mim, sempre fui um jogador de equipa por isso a minha escolha está feita. Ainda assim, da próxima vez que pedir uma cerveja de pressão (porque Imperial é concorrência), vou ter de me certificar quem é que vai à frente, para fazer uma escolha mais racional. 

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

O melhor anúncio de sempre

Este anúncio de 2001 da Agent Provocateur, protagonizado por Kylie Minogue, acaba de ser escolhido como o melhor anúncio de sempre em Cinema. Sinceramente não sei se é o melhor, mas lá que é bom é! Muito bom!

Fica o aviso: O anúncio que se segue contém imagens eventualmente chocantes, não aconselhável a senhoras invejosas.


Desde Lucky que não via Kylie em tão boa forma.

Top Ten Cinema Advertisements

A lista final ficou assim ordenada (Ver aqui o canal da DCM no YouTube).

1. Agent Provocateur "Proof" (2001)


2. The Orange Gold Spot (2008)


3. Maxell Tapes "Break the Sound Barrier" (1982)


4. Dunlop Tyres "Tested for the Unexpected" (1993)


5. Ford Puma "Bullit" (1997)


6. Diet Coke "Break" (1994)


7. Baccardi "If" (1991)


8. Guiness "Surfer" (1999)


9. Carling Black Label "Dambusters" (1990)


10. Sony Bravia "Balls" (2005)


Fica o desafio: Porque não fazem as vossas escolhas?

Yes, Pecan!

domingo, 25 de janeiro de 2009

Os anúncios do BPP

Uma das consequências da crise do BPP foi o fim das duas páginas de muito boa publicidade, que há vários anos "abriam" a revista do jornal Expresso. Eram duas páginas que cativavam o leitor para o conteúdo (copy) do anúncio, através de uma história (mudavam frequentemente os personagens) repleta de mensagens e apelos implícitos sobre as qualidades do Banco Privado. 

Já depois do escândalo rebentar, um dos últimos anúncios, por altura do Natal, trazia uma lista de instituições que valia a pena apoiar naquela época do ano. Por lapso, acrescentamos nós, faltava o contacto do próprio BPP.

Para recordar, aqui ficam alguns exemplos dos anúncios (não são necessariamente os melhores, mas alguns dos que encontrei pela Net):





Agência:BBDO


sábado, 24 de janeiro de 2009

A dança das sobrancelhas

Novo anúncio da Cadbury's em Inglaterra.


Ver a restante campanha aqui.

Vaticano 2.0


Em poucas áreas Portugal se pode orgulhar de estar na linha da frente. Aparentemente, a religião é uma delas, pecando (perdoai-me a blasfémia) apenas pela timidez.

Depois do Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, ter colocado a mensagem de Natal de 2008 da Diocese online via YouTube - e de se ter apressado a retirá-la antes que alguém a visse - chega agora a vez do Vaticano criar o seu próprio canal no dito site. Segundo as notícias, esta é uma demonstração de abertura às novas tecnologias por parte da Igreja Católica. 

Por isso, receio bem que um dos próximos passos seja recebermos na nossa caixa de correio um email com a mensagem: "O Papa adicionou-te como irmão no Facebook. Clique no link para confirmar."
 

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

de dia Presidente, à noite super-herói?!





Isto é wayy too much...

thank god for good branding!

Super Bowl veta publicidade

O maior evento desportivo do mundo (e simultaneamente o evento mais valioso do mundo em termo de publicidade), o Super Bowl, recusou uma inserção publicitária de uma agência de encontros extramatrimoniais no programa oficial do jogo (uma espécie de revista do jogo, muito comum nos vários desportos em terras do Tio Sam). O slogan era muito peculiar: "Com quem vais estar depois do jogo? A vida é curta. Tem um affair."

O contrato tinha muitos zeros (fala-se de valores na casa dos seis dígitos) mas nem esse argumento valeu. O responsável máximo da Ashley Madison já considerou esta decisão "hipócrita e ridícula", dado que a NFL tem muitos anúncios a produtos perigosos ou bebidas alcoólicas.

Para nós, portugueses, sem dúvida que o maior insólito não é a recusa da NFL em aceitar o anúncio, mas sim o facto de existir uma agência que incita à traição. Neste país de brandos costumes à beira-mar plantado, esta prática seria um escândalo, mas não custa acreditar que facilitaria a vida a milhares de pessoas, que tanto gostam da sua aventura extra-conjugal.

Aqui fica o anúncio vetado:

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Modifiche







Parece que há mudanças na casa da MTV Portugal.

Lorenzo de Stefani deixou, ainda no decorrer deste mês, o cargo de Director que ocupava há já mais de 5 anos.

O novo director é Português, e parece que vem da Tv Cabo.

A dança da T-Mobile



Muito em voga ultimamente, esta coisa do flash mob - aqui pela mão da Saatchi & Saatchi e com um evidente piscar de olho às acções da Improv Everywhere (à missão Frozen Grand Central, mais concretamente).

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Exmo Sr. Presidente, o que está a fazer neste momento?


O twitter  ameaça mesmo tornar-se na maior tendência de 2009, logo depois de "A Crise". 

Em Portugal também parece ganhar cada vez mais adeptos. O reforço mais recente concede à ferramenta um peso mediático que poderá ser uma importante ajuda para a definitiva implementação do microblog por cá. 

Claramente, esta é uma aposta da Presidência da República num nicho influente e uma demonstração óbvia de que está atenta às novas tecnologias.

Mais sobre o twitter aqui.

Obamania (segundo acto)


Foi com esta simpática ironia que a CNN recebeu muitos dos que quiseram assistir à tomada de posse de Barack Obama, em directo, via Internet, tal a afluência de visitantes. Em Portugal, a SIC online também não esteve muito melhor, tantas foram as visitas de ocasião, comprovando, uma vez mais, que este é um fenómeno global. 

A julgar por tudo isto, as expectativas (espero que pelos motivos certos) mantém-se elevadas e a Obamania parece não abrandar. A ver vamos os resultados.

Pára-quedismo

Verdade seja dita que não entendo nada do que dizem, mas lá que comprava, comprava...

Vacas Loucas II

Quem passou hoje pela Praça de Espanha deu de caras com algumas vacas (bem reais) a pastar, bem no centro da praça. A iniciativa faz parte de uma campanha do Turismo dos Açores e que "traz" a Lisboa alguns elementos característicos das ilhas.  Nada como uma boa dose de criatividade para atrair as atenções dos transeuntes e dos media.

Vacas Loucas





Não fosse o Buzzofias saber, exactamente, o que se passou em 2006 e diria, sem espinhas, que se tratava de uma acção de marketing replicada. Como aos nossos ouvidos chegou - em primeira-mão - a história do desaparecimento da vaca do Campo Pequeno (e por razões em nada relacionadas com marketing), arrisco o palpite de que é apenas "coincidência".

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Crónica de uma morte anunciada


Que dificilmente poderia vingar já se sabia dado que o formato paparazzi, puro e duro, vai contra a mentalidade de brandos costumes deste país. Porém, nem o mais ousado dos apostadores arriscaria em tão curto período de vida desta publicação, que nem uma dezena de edições teve.

A questão que se levanta é: Quem tem estas ideias peregrinas de abrir publicações relâmpago, que fecham mais depressa do que abrem?

sábado, 17 de janeiro de 2009

Burger King 'sacrifica' Whopper Sacrifice

O Burger King terminou abruptamente a campanha Whopper Sacrifice. O motivo? O ultimato feito pelo Facebook para que a aplicação deixasse de avisar os utilizadores que alguém os tinha removido da lista de contactos.

Isto porque, de acordo com o Facebook, a aplicação ia contra as expectativas dos utilizadores, uma vez que a sua política de privacidade torna claro que ninguém é notificado caso seja removido de uma lista de amigos. Por outro lado, o Facebook pode também ter visto como prejudicial a remoção de amigos - afinal, todas as redes sociais vivem dos laços criados entre os utilizadores.



O Facebook deixa assim escapar a oportunidade perfeita para mostrar que grandes marcas conseguem, na sua plataforma, um envolvimento efectivo com os utilizadores - ainda para mais, numa altura em que a rede procura novas formas de publicidade para conseguir acompanhar o crescimento veloz do número de utilizadores.

Para o Burger King, e apesar do fim prematuro, a campanha terá sido um sucesso - não só pelo número de amizades terminadas pelo dito hamburguer (233,906 é o número oficial), mas também pelas inúmeras menções que gerou por todo o lado, levantando até questões sobre a hipocrisia das amizades nas redes sociais.

Assim vão os media



Como escrevemos neste post, a agenda de contactos é uma das ferramentas mais importantes de um consultor de comunicação. Mais do que números e emails, deve ter contactos privilegiados (palavra assustadora para alguns), pessoas a quem se trata por tu e que estão disponíveis para ouvir a fonte, sem medos nem pudores. 

Ultimamente, para qualquer consultor que se preze, a tarefa de manter a sua agenda actualizada não tem sido fácil, tantas as mexidas e mudanças (diria centenas) nos meios de comunicação social, nos últimos meses. Algumas por bons motivos, outras nem por isso. Certo é que nas redacções se vive um clima de muita incerteza e de grande falta de motivação. 

Sendo a boa saúde da imprensa fundamental para o País, temo que este estado de espírito não augure nada de bom. 

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Apelo ao proibido

Aproveitando o post do dc, aqui fica outro exemplo de criatividade com latex, na minha opinião mais duvidoso.

Eu até sou me adepto do bom humor, no entanto, o limite não devia ser o da legalidade? Pelos vistos, para a Harmony (e para a Fullsix), não.








Afinal, ainda não estamos na Rússia.

Limpezas de Inverno


Depois do gratuito Sexta ver a sua distribuição cancelada, a Controlinveste informa-nos que tenciona despedir 122 trabalhadores. A ameaça de que 2009 ia ser um ano terrível para a imprensa concretiza-se -- e ainda só chegámos a meio de Janeiro.

Os despedimentos nos media têm recebido um acompanhamento rigoroso, informado e exaustivo nos... media. É verdade que a crise na imprensa é mais grave do que na indústria têxtil ou automóvel? Não. Acontece que os jornalistas são as pessoas no mundo com maior facilidade de acesso ao 'megafone'.

Quando as coisas começaram a ficar más para a malta dos jornais, um grupo de bem intencionados colegas decidiu criar um site que reunisse declarações de jornalistas felizes com o seu emprego. O site Jolly Journalist queria animar a malta recorrendo às virtudes da web 2.0. Dependia de conteúdo gerado pelo utilizador e não era actualizado desde Outubro.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Fetiche com balões?



E porque nem tudo corre bem à primeira, os (hilariantes) out-takes podem ser vistos aqui, no site da Superfad.

A Durex continua assim a provar que sexo e humor podem andar de mão dada.

Adenda - outras campanhas de preservativos que utilizaram a modelação com balões como motivo:

A própria Durex, em 2007



A Tulipan, no ido ano 2000, coincidentemente (ou não) também com figuras animais

Palha fresquinha

Só os incompetentes é que se sentem incomodados com a competência dos outros.

As coisas que nos enchem de orgulho


O fotógrafo oficial de Barack Obama é luso-descendente e o futuro cão da Casa Branca pode ser Português. Parabéns a ambos.

O melhor emprego do mundo

Quem quiser candidatar-se ao melhor emprego do mundo só tem de ir a este site.

São 14.380€ por mês, e a difícil tarefa de viver numa ilha tropical deserta no estado Australiano de Queensland, durante 6 meses. São 12 horas diárias de trabalho, que consistem em dar de comer a peixes, recolher o correio e alimentar um blogue com fotos e partilha das experiências vividas na ilha.

Tudo isto, desfrutando ainda de uma moradia com três assoalhadas e piscina.

Ao que parece a corrida desenfreada ao cargo já começou e, só nas primeiras 24 horas, foram mais de 200 mil os visitantes e de duas centenas de inscrições... vindas de todo o mundo.

Já sabem, se estiverem insastifeitos com o vosso trabalho e a desejar mudar de ares... cliquem no link e candidatem-se, é só fazerem um vídeo criativo de um minuto!

Perfeição

Acção de guerrilha no metro de Berlin.

Com a mesma técnica dos "stickers", coloca-se menus de Photoshop sobre as imagens de anúncios dos novos álbuns de três divas da Pop.

Para lembrar que a "beleza perfeita" está à distância do "programa perfeito".



Nike

Taylor Momsen foge dos paparazzis ou isto é apenas mais um excelente exemplo da criatividade da equipa da Nike?

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Steve Jobs ausente da Apple até Junho

Afinal a condição médica de Steve Jobs é mais grave do que se suponha e, para recuperar, Jobs estará de baixa até ao final de Junho.

As acções da Apple caem.



As referências a "Steve Jobs" no Twitter sobem. Desenfreadamente.



Para outro post: o Twitter enquanto ferramenta para sentir o pulso da internet e perceber, em tempo real, o que está a causar buzz.

Palha fresquinha

Se todos vierem contra ti, provavelmente é porque vais em sentido contrário. Ou então é porque estás rodeado de imbecis...

Blindgossip

Recentemente, deram-me a conhecer um site maravilhoso. Chama-se Blind Gossip e assenta num pressuposto muito simples: os autores lançam boatos sem nunca darem a conhecer sobre quem são os personagens da história. Depois, é ver os comments a choverem, com apostas sobre quem serão os protagonistas...

É que, apesar de nunca se falarem em nomes, a maioria dos followers do blog, sabem exactamente de quem se fala. E as reputações caem. Por mais aparências que se queiram manter.

É que o word of mouth funciona mesmo. Para o bom e, principalmente, para o mau.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Quanto vale um amigo?

Para alguns utilizadores do Facebook, uma amizade pode valer cerca de 30 cêntimos - ou antes, um décimo do valor aproximado de um hambúrguer.

A equação é possível graças ao Burger King, que lançou recentemente o Whopper Sacrifice — uma aplicação para o Facebook que encoraja os utilizadores a sacrificarem 10 amigos (isto é, a remover da lista de amigos) a troco de um cupão para um hambúrguer Whopper gratuito.


As últimas campanhas da marca, algo arrojadas, já haviam deixado alguns sobrolhos franzidos - caso da recente Whopper Virgins, uma espécie de Pepsi Challenge terceiro-mundista com um toque Benetton, e hambúrgueres no lugar dos refrigerantes. Mas trocar amigos por um hambúrguer parece não escandalizar os cerca de 20.000 utilizadores que, ao fim de poucos dias, já o fizeram.

As aplicações do Facebook têm vindo a tornar-se uma praga de proporções bíblicas. Vampiros, bolas de neve e quizzes sobre a sétima arte — quem o utiliza sabe bem como é receber pequenos e irritantes convites para adicionar estas e outras aplicações. De facto, a maior parte das aplicações criadas por marcas tenta impor um efeito viral através destes convites, tentando também aumentar e ampliar as interacções entre utilizadores.

E aí vive a provocação do Whopper Sacrifice: não nos pede que façamos novos amigos, mas sim que digamos adeus a alguns. Com ligeireza, troça com a importância que damos a estes laços virtuais, ao mesmo tempo que dá aos utilizadores - que foram acumulando amigos a mais ao longo do tempo - a desculpa perfeita para limpar as suas lista de contactos. Este foi, aliás, o móbil da campanha: num artigo da Adweek, Jeff Benjamin, director criativo na Crispin Porter + Bogusky (agência responsável por esta campanha e também pela Whopper Virgins), diz que a ideia surgiu quando alguns dos criativos da agência se viram confrontados com o excesso de contactos no Facebook (o próprio Benjamin soma 736 amigos) e pensaram que, de alguma forma, poderia ser divertido eliminar alguns desses contactos. 

Claro que muitos dos utilizadores irão sacrificar amigos pelo hambúrguer para logo a seguir voltarem a reatar a amizade. Ainda assim, todos os contactos sacrificados são avisados de que a sua amizade foi trocada por um hambúrger. 

Resta assim saber quem irá guardar rancor. 

O melhor do mundo

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Os gostos dos outros

Barbies das agências de comunicação, pê-erres de pêlo na venta, assessores abelhudos e estagiários reféns da redacção, vale a pena passar os olhos por esta brilhante colectânea de lugares comuns.

Alguns excertos do hilariante Stuff Journalists Like (um spin-off do igualmente genial Stuff White People Like):

Press Releases

Majority of press releases end up in a pile of potential stories or go directly in the waste bin. But occasionally a journalist will get a press release that is just too good to pass up.

These press releases are usually for events that offer free food. When journalists gets one of these press releases they will immediately drop everything they are doing, pick up the phone and RSVP to said event.

Google

All without leaving the newsrooms, journalists have access to more information than the predecessors ever had. Google makes it possible to trace old stories, follow up on tips, scan through the day’s big headlines and read about the current round of layoffs at newspapers.In fact, when journalists want to read about the death of newspapers, their source of choice is Google News.

Interns

Interns are essentially used as mops to wipe up the day’s dullest news, allowing the professional paid journalists who get paid to focus on items that will wind up in frames and earn them the name recognition they so crave. Interns also allow journalists to pursue time worthy efforts such as griping about the death of newspapers or to write personal blogs.

Lá se foi o dia da semana de que todos mais gostam...

Bastou uma semana para o semanário gratuito Sexta suspender a sua publicação. Foi o primeiro de um ano que se adivinha muito difícil para a imprensa e não só. A Impala também já avançou para despedimento colectivo em algumas das suas revistas.

Aceitam-se apostas... who's next?

sábado, 10 de janeiro de 2009

Alerta laranja


São 4h da manhã e cheira-me que ainda há muitos repórteres de imagem acordados à espera que comece a nevar em Lisboa -- os de Viseu e Braga já foram dormir, logo a seguir ao 17º directo do dia.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Postal de Natal atrasado


Bom, é verdade que o Natal já passou, que o Novo Ano já entrou, que os Reis já voaram.


Mas, um bom postal de Natal, é sempre motivo de destaque.


E este, da agência britânica Albion, é muito bom.


quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Não Religião faz publicidade

Se existe liberdade de expressão, a campanha publicitária que se prepara para arrancar em Londres é disso o expoente máximo.

De acordo com o site da Meios & Publicidade, o ateísmo prepara-se para sair à rua. A campanha "There's Probably No God" vai estar em 800 autocarros da capital britânica. A iniciativa partiu da British Human Association.

Num momento que tanto se discutem os cortes em publicidade devido à crise económica e financeira mundial, esta não deixa de ser uma campanha inovadora e surpreendente.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Pensamento único?





Dizem que a nossa imprensa desportiva não é criativa. Mentira. Esta segunda-feira, todos os nosso diários da bola foram criativos: tiveram uma ideia -- a mesma.

Não haverá um telefone vermelho Record-A Bola-O Jogo para 'ligar em caso de lugar-comum'?

Mas a parte melhor deste equívoco é o comentário de João Lopes. Este conhecido (ia escrever 'popular', vejam lá) crítico de cinema traz luz sobre o caso e levanta questões essenciais:

O que está em jogo está muito para além do futebol (e ainda mais das preferências clubistas seja de quem for). Tem a ver com uma vocação primordial — e, salvo melhor opinião, inalienável — do próprio trabalho jornalístico. A saber: a de nos convidar a abrir os olhos, a sensibilidade e o pensamento para a pluralidade do mundo e da experiência humana.

Quem daqui nunca abriu o Record à procura da sensabilidade e o pensamento para a pluralidade do mundo e da experiência humana, que atire a primeira pedra.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Novos media?



Numa altura em que se fala tanto em redacções multimédia, podcasts e vídeo integrado, uma equipa designers, tipógrafos e jornalistas juntou-se para criar o The Manual, o primeiro jornal feito sem a ajuda de máquinas.


O resultado foi um jornal totalmente feito à mão -- como nem antigamente se fazia -- distribuído em algumas zonas de Londres. Da tipografia saíram 100 exemplares deste berliner de quarto belíssimas páginas.

Numa cidade forrada a papel de diário gratuito o The Manual (agora, um item de coleccção) pretende iniciar uma reflecção sobre o que é lixo e o que é luxo nos media actuais.

«Também quisemos mostrar o poder da imprensa usando apenas tinta e papel de uma maneira que valorize o seu toque, cheiro e texturas.»


Mais aqui.